Bem-vindo!

Prezado Colaborador, Seguidor ou Visitante, seja bem-vindo!
Este é mais um canal para prosseguirmos com nossa luta por melhores condições no transporte ferroviário do Rio de Janeiro. Sinta-se à vontade para realizar comentários nos posts do blog e nos enviar sugestões.
Contamos com a sua contribuição.

Saudações, Equipe do TrensUrbanosRJ.
E-mail: trensurbanosrj@gmail.com

segunda-feira, 28 de novembro de 2011

#FOTO - Chuva no interior dos trens da #SuperVia

É um completo #Absurdo. Dentro dos trens da #SuperVia pessoas precisam de guarda-chuva para se protegerem da chuva.


Chove no interior dos trens da #SuperVia

#FOTO - Estação de Deodoro - Goteiras no Telhado. #Supervia

Várias estações da #Supervia se encontram nesta situação, goteiras e mais goteiras no telhado das plataformas. Nesta manhã, o nosso Colaborador/Seguidor @lgomes1205 flagrou uma das plataformas de Deodoro completamente encharcada devido a goteiras no telhado. Outras plataformas de Deodoro também se encontram na mesma situação.

Plataforma Nr 2 da Estação de Deodoro

sexta-feira, 25 de novembro de 2011

Cotidiano Japeri

Este novo sistema da Supervia só piorou a situação dos trabalhadores. Se antes era ruim ''pegar'' trens todos os dias, hoje está insuportável. Com este sistema de intervalos, ao invés de melhorar os serviços, piorou, pois as estações ficam cada vez mais lotadas, e por sua vez, os trens também. A supervia não tem estrutura para transportar milhares de pessoas diariamente, pois os trens ficam vários minutos aguardando sinal, sem ventilação, e superlotados, a ponto de mal conseguir se mexer. Semana passada, chegava sempre à estação por volta de 18:00h, mas só conseguia embarcar por volta das 19:30hs, e o trem demorava tanto em seu trajeto, que eu chegava em Comendador Soares quase 20:30hs. Diariamente ''pego'' o trem especial que parte de Comendador Soares às 06:47hs, e só chego em Cascadura por volta das 08:10hs, trajeto que antes levava 30 min, hoje leva mais de 1 hora. Neste sábado que passou, tudo foi diferente, pois nem todo mundo trabalha aos sábados, então os trens são menos cheios, resumindo: Levei 30 min de Comendador à Cascadura, e na volta, a mesma coisa. Não podendo esquecer que os vagões femininos continuam sendo desrespeitados. Cada dia que passa, os serviços prestados pela supervia pioram.

quinta-feira, 24 de novembro de 2011

Resultado da Enquete - "O que você acha do serviço da Supervia?"


Enquete:  "O que você acha do serviço da Supervia?"

Como já era esperado, a maioria dos votos indica um péssimo serviço prestado pela concessionária de trens urbanos do Rio de Janeiro. Alguns colaboradores questionaram a ausência de opções que indicassem níveis mais baixos de satisfação, como por exemplo "Ridículo", mas nos contemos a deixar as quatro opções que já retratam a realidade do transporte público ferroviário. No total 127 pessoas participaram da enquete.


quarta-feira, 23 de novembro de 2011

Imagens de hoje (23/11/2011) na #SuperVia

Acúmulo de pessoas na plataforma devido a atrasos

Goteiras no telhado alagam o chão da plataforma

Goteiras no telhado

quinta-feira, 17 de novembro de 2011

#CAOS na SuperVia - Princípio de incêndio interrompeu circulação de trens num trecho

Tráfego no ramal Deodoro foi normalizado por volta das 22h30, diz Supervia.
Princípio de incêndio ocorreu na subestação de Bento Ribeiro, no subúrbio.

O tráfego de trens ficou interditado em um trecho do ramal Deodoro, na noite desta quinta-feira (17), após um princípio de incêndio próximo à subestação de Bento Ribeiro, no subúrbio do Rio. A SuperVia informou que a circulação de trens foi normalizada por volta das 22h30.
Segundo a SuperVia, o princípio de incêndio ocorreu às 20h45. Ainda não há informações do que causou o fogo.
Por quase duas horas, o tráfego de trens ficou paralisado entre as estações de Madureira e Deodoro. O Centro de Operações da Prefeitura do Rio informou que neste período, os trens circulavam apenas entre as estações Central do Brasil e Cascadura.

segunda-feira, 14 de novembro de 2011

Funcionários da Supervia tratam passageiros com desprezo e falta de atenção.

Bom dia a todos os leitores e passageiros desse trem fantasma... rs

Todos os dias alguém me diz para não andar mais de trem. "Por quê vc não vai de ônibus?" é uma pergunta que me fazem todos os dias. Pois bem, respondo:

1 - De ônibus, pego engarrafamento (só essa resposta bastaria, mas tem mais);
2 - Eu teria que pegar dois ou três ônibus para chegar ao meu destino;
3 - Logo, eu pagaria mais caro pela passagem;
4 - Os ônibus andam cheios, logo a viagem é ainda mais desconfortável;
5 - E por quê eu deixaria de andar de trem? Se pago meus impostos, se pago a passagem, não sou eu quem tenho que abandonar o meio de transporte, e sim a empresa administradora que deveria oferecer um serviço de qualidade!

Pois bem. O valor da passagem da Supervia, empresa que opera as vias ferroviárias do estado do Rio de Janeiro, é de R$ 2,80. Pago R$ 4,20 pois uso a integração do Metrô Rio. Considerando ida e volta, são R$ 8,40 por dia e TODOS OS DIAS acontece algo de ruim. Acredite.

Na sexta-feira passada, dia 11/11/11 (data curiosa), aconteceu algo que me deixou especialmente irritada. Passei um sufoco enorme para conseguir embarcar em Padre Miguel em um trem direto (vindo de Santa Cruz), de ar condicionado, que estava absurdamente LOTADO e com muitas pessoas na porta, impedindo que outras entrassem - inclusive, algumas portas do trem estavam abertas. Um homem me empurrou, me falou um monte de besteiras e outras coisas que não merecem ser publicadas, até porque, infelizmente, a falta de educação e gentileza - PRINCIPALMENTE POR PARTE DOS HOMENS - é algo bem frequente nas viagens de trem.
Mas não é disso que vim reclamar, e sim de algo que considero ainda pior: o descaso dos funcionários da Supervia.

Duas estações após o meu complicado embarque - em Magalhães Bastos - o trem parou. Anunciaram que seria vistoriado - nunca entendi essas vistorias no meio do caminho, até porque o trem deveria ser vistoriado na oficina, antes de entrar em operação, e não no meio da viagem. Pois bem, saí de dentro do trem pois estava sufocada e até com um certo medo da reação daquele troglodita que me disse pra tomar cuidado pois "o bagulho tava ficando doido na Vintém". Do lado de fora do trem, notei alguns técnicos correndo, imaginei que fosse para realizar a tal "vistoria". O trem ficou parado ali por uns 5 minutos, vi o técnico tentando fechar as portas (que deviam estar abertas desde Santa Cruz) e para minha decepção, não consegui embarcar novamente na composição.

Aguardei o próximo. Fiquei uns 10, 15 minutos parada na estação, debaixo do sol, suando e nervosa porque estava passando do meu horário e eu precisava chegar ao trabalho. Nesse meio tempo, nenhum trem parador passava, e eu já estava preocupada em sofrer outras ofensas ou agressões ao tentar embarcar em outro trem lotado.

Até que, depois desse tempo, chegou um outro trem, novamente direto, esse sem ar condicionado e com alguns vagões aparentemente um pouco mais vazios. Eis que, para minha surpresa, os mesmos estavam vazios pois as portas não abriam! E as outras portas abertas estavam sendo "bloqueadas" pelas pessoas penduradas que não permitiam a entrada de outras! O mesmo técnico que fez a "vistoria" foi novamente à plataforma e quando algumas outras senhoras e eu pedimos sua ajuda para abrir a porta fechada, ele correu para fechar uma outra aberta e ignorou o pedido. Um outro funcionário, que aparentemente não era técnico (vestia roupas "normais", tinha um crachá mas estava virado e não deu pra ler seu nome e cargo), também estava na plataforma, e disse que "não podia fazer nada, os passageiros danificaram a porta e isso não era serviço dele". Perguntei: "o senhor não pode fazer nada? Não pode pelo menos chamar alguém que possa nos ajudar? Estamos há quase meia hora tentando embarcar e não conseguimos! O senhor não está fazendo nenhum favor para nós, somos clientes e pagamos pelo serviço!"

Ele simplesmente virou as costas e me deu seu desprezo como resposta.

Ora, se era serviço dele ou não, isso não me importa. Paguei a passagem e exijo ter ao menos o direito de seguir viagem! Entendo que muitas vezes são os próprios passageiros quem danificam as composições, mas não podemos ser tratados com tamanho descaso pela empresa. Se ele não podia fazer nada, tinha que procurar quem pudesse. Tinha que, ao menos, procurar uma solução para o problema do passageiro!

Fiquei extremamente chateada com o ocorrido, principalmente por não conseguir identificar o funcionário, que por razões que a razão desconhece, escondeu seu crachá e seu nome.

De que adianta, Supervia, convidar clientes para café da manhã, se vcs não investem em treinamento profissional? Se não investem em comunicação? O cara realmente não podia fazer nada, mas deveria ser orientado a agir corretamente perante uma situação como essa, e não simplesmente virar as costas. Acorda, Supervia. Isso não é um favor, é obrigação.

Enfim, depois de meia hora de espera, finalmente embarquei em outra composição, cheguei meia hora atrasada no trabalho e mais uma vez precisei justificar ao meu chefe uma falha do transporte público da nossa cidade. Mas a mágoa e a revolta não cessaram. Sinto-me desrespeitada como consumidora. Se fosse em um mercado ou outra loja qualquer, nunca mais voltaria lá, nunca mais compraria nada dali. Mas infelizmente eu preciso desse transporte. Ou vou de trem ou perco o emprego. Como tenho família, contas a pagar e dignidade, vou levando minha vida sobre os trilhos, um dia de cada vez.

Charlayne Primo, 28 anos, publicitária. Moro em Padre Miguel e trabalho na Glória. Pedindo paciência à Deus, porque se ele me der forças, eu quebro tudo.
@nanycrazy

quinta-feira, 10 de novembro de 2011

Integração Central - Carioca será interrompida às 13h nesta quinta-feira

Reprodução do site da Supervia.
 
Em função da manifestação pelos royalties do petróleo, que vai alterar o trânsito do Centro do Rio de Janeiro, a integração Central - Carioca será interrompida às 13h desta quinta-feira (10/11).

Fotos de hoje na Supervia - Estação Guilherme da Silveira - #CAOS

Trem Santa Cruz, sentido Central, quebrou e os passageiros tiveram que desembarcar na estação Guilherme da Silveira, na zona oeste, de onde seguiram em outras composições.





Estação de Engenho de Dentro - Plataforma Lotada - Embarque para Japeri (09/Nov)

Isso é a estação de Engenho de Dentro às 18h00 (09/Nov). Os Passageiros querendo embarcar para Japeri.
Plataforma cheia como esta é comum na Supervia. Parece que a concessionária não consegue suprir a demanda no horário de rush.
O verão está chegando e o problema tende a se agravar com o calor no interior dos vagões.


quarta-feira, 9 de novembro de 2011

Jovem que caiu em linha férrea no Rio tem quadro de saúde estável

Reprodução do site G1.

Acidente aconteceu na estação do Méier, na Zona Norte do Rio. Vítima passa por exames no Hospital Salgado Filho, segundo Secretaria.

jovem de 24 anos que caiu na linha férrea, na altura da estação do Méier, na Zona Norte do Rio, na manhã da última segunda-feira (7), tem o quadro de saúde considerado estável. Segundo informações da Secretaria municipal de Saúde, a vítima está passando por exames no Hospital municipal Salgado Filho, também no Méier.



Procurada pelo G1, a SuperVia informou, por meio de nota oficial, que apura se a composição circulava de portas abertas no momento do acidente.


Ainda segundo a concessionária, agentes da SuperVia prestaram socorro imediato ao passageiro. Veja a íntegra da nota no final desta reportagem. No dia 1º, a Polícia Civil fez uma operação para coibir a circulação de trens com portas abertas.



Nota da SuperVia:
"A SuperVia informa que, nesta manhã, agentes da concessionária prestaram socorro imediato a passageiro ferido próximo à estação Méier. Prontamente, a concessionária acionou o Corpo de Bombeiros, que tomou as providências para encaminhamento para o Hospital Salgado Filho.

Todos os trens passam por vistoria técnica diária para que saiam das estações com todas as portas fechadas e a empresa apura possível circulação com portas abertas. A SuperVia tem tomado todas as providências para que episódios como este não aconteçam, inclusive, apoia a Operação Portas Fechadas, iniciativa da Polícia Civil para coibir abertura de portas durante o percurso, e realiza campanhas para conscientizar os passageiros sobre a importância de mantê-las fechadas".



Estações lotadas pela manhã de hoje na Supervia

Mulher Grávida é obrigada a descer nos trilhos da Supervia

Um trem sentido Central do Brasil apresentou problemas na estação de Piedade nesta manhã de quarta-feira (09/Nov). Passageiros foram obrigados mais uma vez a caminhar sobre os trilhos. Já está virando rotina na Supervia. Mulher grávida precisou de ajuda dos funcionários da concessionária para descer do trem.


É um completo #absurdo. Só após acontecer um acidente muito grave, como ocorreu com os bondinhos de Santa Teresa, é que o Governo irá tomar atitudes. 

terça-feira, 8 de novembro de 2011

segunda-feira, 7 de novembro de 2011

Documentário - "Centenas vão sentados, Milhares vão em pé"

O documentário “Centenas vão sentados, milhares vão em pé” é um projeto independente organizado pelo estudante de produção audiovisual (comunicação social) da UFRJ, Nícolas Queiros (@nicolasqueiros). A ideia principal é organizar um documentário que relate a realidade fora e dentro dos trens urbanos do Rio de Janeiro, evidenciando os prós e contras de uma viagem de trem, mostrando como sobrevivem os pedintes e os camelôs, em que condição aparecem os trens (como por exemplo, colocarem trens modernos com ar-condicionado em dias de chuva e frio, enquanto que nos dias de calor insuportável colocam trens enferrujados, velhos e sem ar-condicionado).
Além de mostrar essas situações dentro dos trens, o documentário tentará abordar a questão das estações, como elas são preservadas, como funciona o policiamento, o fato de estações menores (e normalmente mais pobres) terem constantes invasões, favelas que crescem beirando a linha do trem, cracolândias que vão se formando devido o abandono. Outro ponto forte são os depoimentos de pessoas que freqüentam os trens, dependem dele para chegar ao trabalho, faculdade e etc...)
Apesar da inexperiência cinematográfica, Nícolas Queiros pretende começar sua carreira como documentarista com um filme polêmico e para isso conta com a ajuda da população que pode participar da página no Facebook e opinar no andamento do documentário, enviar imagens e ajudá-lo na produção e divulgação do mesmo.  Confira abaixo a página no Facebook:





Participe da mesma, divulgue para amigos e conhecidos e ajude-o na produção de um filme nacional feito pelo povo para o povo.

domingo, 6 de novembro de 2011

Vagão Feminino

A Supervia faz várias propagandas informando sobre o decreto de 2006 que determina que as mulheres possuem direito a um vagão. Sendo que, eles divulgam que não há espaço para falta de respeito no vagão feminino, colocam agentes com placas no terminal da Central, mas eu pergunto, e as outras estações??? Diariamente eu embarco em um trem especial que parte da Estação de Comendador Soares, horário de 06:47, mas raramente o vagão feminino é respeitado. Nem sempre os agentes que permancem na estação, monitoram os vagões, e quando o fazem, nas estações seguintes os homens embarcam, e nenhum agente impede. O monitoramento do vagão feminino deve ser feito em todas as estações, e não apenas de onde os trens partem. Já vi inúmeras vezes agentes papeando com o maquinista, enquanto vários homens adentram o vagão feminino. Se todas as estações tivessem os mesmo esquema montado na Central, com toda certeza, não estaria criticando a Supervia neste momento.

sexta-feira, 4 de novembro de 2011

quinta-feira, 3 de novembro de 2011

FOTO - Trem Japeri com portas abertas

Trem do Ramal Japeri circulando com portas abertas na manhã de hoje.

Trem do Ramal Japeri circulando de portas abertas (@bgleizer)

Descarrilamento no Ramal Japeri hoje pela manhã. #Supervia #Descaso

Hoje pela manhã foi marcado pelo descarrilamento do trem do Ramal Japeri às 5h55 da manhã próximo à Estação de Anchieta. Alguns passageiros tentaram recuperar o dinheiro da passagem mas a Supervia não devolveu. Foi muito tumultado. Passageiros tiveram que descer da composição e caminhar pelos trilhos. Muitos reclamaram da falta de assistência da SuperVia.  Não houve feridos. Após o acidente, muitos passageiros se dirigiram até a estação de metrô da Pavuna, onde ficou super lotada, veja a foto abaixo.



Estação de metrô da Pavuna lotada após descarrilamento do trem do Ramal Japeri (@eltonlima)



Vídeo - Trem Japeri viajando com portas abertas - #Japeri #Supervia #Descaso

Trem viajando com as portas abertas no Ramal Japeri nesta quinta-feira (03/Nov) pela manhã caótica da SuperVia.

Enviado pelo colaborador @bgleizer


video

Intervalos médios - Falta de informação da Supervia - #DESCASO #ABSURDO #SUPERVIA

Tweets na rede ocorrem todos os dias com relação ao "Tratamento VIP" que a Supervia dá aos seus passageiros (Clientes). Infelizmente, esta empresa chamada Supervia, que na prática não tem nada de "Super", só se o nome for com relação ao descaso com os passageiros, criou o sistema de intervalos médios, onde não há informação nenhuma de qual trem sairá em qual horário, ninguém sabe qual o próximo a sair. Tudo pra se livrarem da constantes acusações sobre os atrasos nas viagens. Se para você serve qualquer ramal, tem que contar com a sorte para que o trem que você escolheu seja o primeiro a sair.


Tweets como estes abaixo são postados todos os dias na rede: 


"@SuperVia_trens Não basta informar intervalo. Necessita informar horário de última saída, ou tempo para a próxima saída." (@chenriquemattos).

"@SuperVia_trens Falha na operação por intervalo. Vejam só: partida Central, destino Madureira. Estando na Central, qual trem sai primeiro?" (@chenriquemattos).

"@SuperVia_trens Tenho Deodoro, Bangu, Campo Grande, Japeri, Santa Cruz, Nova Iguaçu e Queimados. Mas qual sai primeiro?" (@chenriquemattos).

terça-feira, 1 de novembro de 2011

Quatro são detidos durante operação na estação de Madureira

REPRODUÇÃO DO SITE ODIA 

 

Objetivo da ação era evitar que as composições seguissem viagem com as portas travadas por usuários e impedir crimes nas plataformas

 

POR MARCELLO VICTOR

Rio - Quatro homens foram detidos em mais uma Operação Portas Abertas da Delegacia de Defesa de Serviços Delegados (DDSD), realizada na manhã desta terça-feira, na estação de trem de Madureira, na Zona Norte. Eles foram levados para a delegacia após serem flagrados impedindo o fechamento das portas de composições que seguiam para a Cetnral do Brasil


A ação, que já vem sendo realizada há cerca de dois anos, contou com o apoio de policiais do Núcleo de Polícia Ferroviária (NPFer) e de seguranças da Supervia. Eles atuaram principalmente na plataforma de desembarque de passeiros dos ramais de Japeri e Santa Cruz e de embarque dos trens diretos rumo a Central do Brasil. O objetivo principal era evitar que as composições seguissem viagem com as portas travadas por usuários e impedir crimes nas plataforamas, como furtos.

O estoquista Daniel Soares de Oliveira, de 30 anos, um dos detidos na ação, protestou. "Choque de Ordem para prender trabalhador. Sou obrigado a vir no trem cheio com a porta aberta senão não chego no horário no trabalho. Fico indignado. Hoje, os trens devem estar com atraso de cerca de meia-hora. Demoro pra chegar no trabalho e ainda vou ser autuado como marginal", disse Daniel, que seguia de Realengo para a Central do Brasil, com destino a Ipanema, onde trabalha.

De acordo com a delegada Daniela Rebelo, os quatro detiros foram autuados no Artigo 260 do Código Penal (impedir ou perturbar serviço de estrada de ferro). A pena varia de dois a cinco anos de reclusão e multa, podendo ser agravada em caso de desastre. O inquérito será encaminhado ao Juizado Especial Criminal (Jecrim).

Trens paradores (Bangu e C. Grande) estão com atraso pela manhã de hoje

Um trem parador que sairia da estação Central do Brasil, no Centro, para Campo Grande  na manhã desta terça-feira, apresentou um problema operacional e teve a viagem cancelada por volta das 6:30h.

De acordo com a Supervia, por causa do cancelamento, os trens paradores que partem de Bangu e Campo Grande circulam com intervalos irregulares.

Operação na Supervia contra portas abertas

Desde as 7:00h da manhã de hoje, agentes da Delegacia de Defesa de Serviços Delegados (DDSD) fazem uma operação para coibir a abertura de portas durante as viagens dos trens da Supervia. O Centro da Operação foi montado na estação de Madureira.

Segundo a Polícia Civil, a ação também tem o objetivo de coibir crimes ocorridos na plataforma de embarque e desembarque, além de conscientizar os passageiros sobre a preservação da segurança nas viagens.

A Polícia Civil conta com o apoio da Supervia para esta operação.

Campanha: Educação, Gentileza e Respeito

Nós apoiamos